laylla

laylla
ao tempo o tempo

segunda-feira, 23 de maio de 2011

epitafio

Ontem descansei
finalmente fui esquecida,

Lambendo as chagas, as feridas

Que de minha alma torturada

brotam
escrevi meu epitáfio

nele se lê :foi poetiza - sonhou - e amou demais na vida.
E nada além de uma cruz enterrada no chão de terra seca.

uma certeza eu tenho...
Que minha alma cantou e amava tanto,
que o anjo protegeu o meu corpo abandonado,
E no silêncio derramou a ultima lágrima de uma dor

silenciosa e fedida!

mais um dia, dia de agonia
não é brincadeira
deveria ter me preparado melhor, e como me orgulho.

lutei muito só por vicio de lutar , pela vida ,por um dia a mais
e agora depois de tudo não encontro a alegria, em nenhum outro dia...
mas parece que estão todos bem, numa ilusão ímpar de

doce felicidade .
Se despedem e dizem bom dia ,que bacana!
Se eu descobrisse um segredo, que me cause medo
Um medo que me impeça de tentar, recordar
Não o seu que me lê, não o meu que me conhece...
Ha sobriedade pela cidade

Nenhum comentário: