laylla

laylla
ao tempo o tempo

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

MAR DE ILUSÕES

Amei tropecei muitas vezes na incerteza
Transformei minha miséria
Mas ri de contente e de tristeza
os olhos me deram amor
olhei para o mar e me banhei de ilusões
a cada chegada ou partida
fiz uma vida de contradições
Mas descobri o segredo da verdade

uma vez conheci um poeta
Este poeta sempre em combate com
Suas palavras, sempre em desacordo
Com seus sentimentos, dizia que amava demais
desprendido do preconceito

de vez em sua imagem vem em meu pensamento
é quando a dor me toma de assalto
me vejo caída no frio
Olhando minha alma em desespero
Senti a vida que me passou
a dor finalmente se separava do corpo
a vida retornou ao seu sentido
Derramada no fundo de um copo

Nenhum comentário: