laylla

laylla
ao tempo o tempo

quinta-feira, 12 de junho de 2008

a bruxa


Ela era tão convicente em sua performa-se de boa senhora

Um sorriso calmo suave ,como de Monalisa,para um bom observador

poderia parecer cruel.

seu tom de voz parecia saido daquelas mensagens que se envia pelo telefone,

uma entonação complascente,como se ja soubesse sempre o que dizer.

nunca a vi nervosa ou em xeque,havia sempre aquele sorriso,complascente como quem diz que bobagem...

Não intimidava, ao contrario parecia fragil,só se denunciava pelos olhos,

de um negro profano.

seus movimentos eram melimetricamente estudados,como se sempre estivesse

em frente a um espelho invisivel,como se seu reflexo estivesse nos outros.

ainda assim era mórbidamente atraente"vem! - disse a serpente- te mostrarei o conhecimento!

estavam sempre em volta dela,odiando-a por sua sinceridade

tão necesseria.

rezando para que ela se fosse, como um sonho que não nos deixa dormir mais

amando-a por mostrar a fraca existencia de quem se acha verdadeiro.

Nenhum comentário: