laylla

laylla
ao tempo o tempo

terça-feira, 13 de novembro de 2012

minha vila minha vila

ah! minha vila querida

Calçadas cheias de poesia
Um caminho musical
Pedras que contam historias
Vila de Noel, vida no papel
Uma simples vereda
Cheia de lembranças
Ruas cruzadas, pessoas que
Se cruzam, quem sabe?
Voltem a se cruzar
Um boêmio em cada esquina
Um amor perdido em cada rua
Um amor a mais
Um amor a menos
Quem sabe?
Na noite seus sons
Encantam, o riso fica fácil
Vila das Lembranças.
grandes figuras, apenas figuras,
violões que tocam sambas
Cantores que cantam dores
Vila das Lembranças
que o tempo não consegue destruir
É ali que vou morar ,
viver e morrer ali...

Nenhum comentário: