laylla

laylla
ao tempo o tempo

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

alma

que alma esconde este meu corpo?
que infinita solidão vou deixando na poeira dos meus passos
achei que felicidade fosse uma flor
que se abriria no ceu.
mas ela era de plastico,so tinha beleza
sem perfume
que alma esconde este meu corpo?
derramei lagrimas de menina
feito chuva fina de verão
ainda me restava um pouco de inocencia
guardadas pela dor,
mas meu coração ja se parecia caatinga
sem vida
com terra seca e rachada
olhei pra o céu e pela ultima vez vi a estrela
que me guiava,mas eu ja não tinha mais medo
nem do esquecimento,nem da escuridão
pra onde eu ia.
dizem que o céu é escuro
por isso prefiro a luz do inferno
a vida já não sedu
z ...

Nenhum comentário: