laylla

laylla
ao tempo o tempo

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Ser feliz? eu sou.

Ser feliz,eu sou...
Eu sempre soube que eu era feliz.
Não de uma maneira comum, mas da minha maneira.
E escondia os meus seios dentro de uma camiseta larga,
Tentando camuflar a evidência de que virava mulher.
... Me agarrava à infância que eu já sabia finda,
E não queria mudar nada .
Gostava de caber dentro de mim.
Eu queria prolongar cada momento,
Os passeios, o sorriso da minha mãe e os dias, e as horas…
Queria que a felicidade ficasse um pouco mais,
Os dias pareciam tão longos...
Queria que a criança não fosse embora.
Mas sabia que fecharia os olhos
E que no dia seguinte isso tudo já seria saudade.
Depois que a gente cresce , desaprende como ser feliz
Porque não tem muito tempo pra lembrar
Hoje só existe o ser, e eu nem sei quando estou,
O que eu sinto, farejo no ar,
A gente aprende a se defender mais do que a lutar.
Ao menos, a identificar quando o perigo chega...
Solto o cabelo, passo perfume e me disfarço toda.
Por que quem sai na chuva pode sempre se molhar
Mas aprendi a fazer isso com certa elegância.
Tem dia novo nascendo.
Tem gente acordando e gente
Que como eu ainda nem dormiu.
Tem pássaro cumprindo sua obrigação
De por som na natureza,
Tem sol em Copacabana saindo de dentro do mar,
Tem voz do Tiago cantando,
Tem acorde de violão tocando,
Tem melodia encantando,
Tem amigos que ainda me amam...
Tem gente que não joga sujo e ainda se emociona…
Tem felicidade que ainda pode chegar.
Não durmo, mas me torno pura poesia,
E assim vou vivendo o bom da vida
Chupando o dedo que feri no espinho
Da rosa, mas ainda assim admirando
A beleza da flor...
Elas são etéreas passageiras.
eternas só na lembrança.
No perfume e na cor...

Nenhum comentário: