laylla

laylla
ao tempo o tempo

terça-feira, 23 de novembro de 2010

UM OLHAR




UM OLHAR SINCERO
ONDE A TERNURA ME DESPIA
UM OLHAR PURO.
UM OLHAR QUE SÓ QUEM VIA, ENTENDIA.
OLHAR DE CRIANÇA
QUE NA INOCENCIA CRUEL
SÓ FALA A VERDADE
DEVO ESCONDER MINHA FRAGILIDADE,
MEUS MEDOS, MINHAS ALEGRIAS...
UM OLHAR ÚNICO
UM OLHAR VELHO
UM OLHAR QUE AINDA TEM
UM CAMINHO A SEGUIR.
E SE EU ERRAR ?
QUE ESTE OLHAR ME AJUDE
A RECOMEÇAR
UM OLHAR DE MÃE
DAQUELES QUE NÃO DA PRA MENTIR
AQUELE QUE SABE MESMO SEM OLHAR.
UM OLHAR DO FILHO
QUEM SABE COMO SERIA ESTE OLHAR?
O OLHAR QUE NUNCA VI.
EU NUNCA VEREI
UM OLHAR DE AMOR,
MISTERIOSO OLHAR.
VÁRIOS OLHARES QUE NUNCA
ESQUECI.
MISTERIOSOS,
ENIGMÁTICOS...

Nenhum comentário: