laylla

laylla
ao tempo o tempo

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

ela

Ela guardava no silencio da mente
um segredo.
Bem escondido,so denunciado pelos olhos,
um amor não-acontecido.

...Ela foi covarde e ausente.
Não lutou o suficiente.
Por mais que o amasse,
Um dia ela permitiu que a vida o levasse.

Hoje ela o busca nas rua da cidade
Procura respostas sem sentido
Presa no interior de um falso sorriso
Ela é cativa,presa
em um coração sofredor.

ela se olha no espelho, lamenta,
O reflexo é triste conturbado
com ele a lembrança do passado.
Ela acende as luzes da casa
o escuro a assusta ,nada
aquece nesta noite fria
de solidão a melancolia.
Ela esquece uma lágrima que
escorre da saudade
retida na alma, nada vai salva-la
ela soluça e se cala

Nenhum comentário: